Identificação Geográfica do Conilon Capixaba | Coopeavi

Acesso rápido:

Índice

Identificação Geográfica do Conilon Capixaba

Que levante a mão o produtor de Conilon de qualidade capixaba que nunca ouviu piada a respeito de sua produção. É comum identificar produtores de arábica e representantes do setor cafeeiro do Brasil desinformados quando o assunto é a produção da variedade mais produzida no ES, o conilon.

O café nada mais é que uma variedade produzida em altitudes diferentes e com manejos específicos, capaz de resultar em um produto de sabor incrível, aroma maravilhoso e que vem ganhando um mercado cada vez mais fiel de consumidores que buscam o verdadeiro prazer em degustar uma xícara de café.

E para firmar a importância que o conilon de qualidade do ES tem para o mercado de cafés especiais no mundo, está sendo lançada a Identificação Geográfica (IG) do conilon capixaba. A IG em termos técnicos é a identificação de um produto ou serviço como originário de um local, região ou país, quando determinada reputação, característica e/ou qualidade possam lhe ser vinculadas essencialmente a sua origem geográfica, sendo passíveis de proteção legal contra uso de terceiros, em termos de Propriedade Industrial.

O Comitê Técnico da IG do Conilon Capixaba é formado pelo Sebrae/ES, OCB/ES, Incaper, Cetcaf, Instituto Inovates, Senar, Cooabriel, Coopeavi, Cafesul e Coopbac. Para o vice-presidente da Cooabriel, Sr. Luiz Carlos Bastianello, a IG é uma vontade antiga de ter um produto reconhecido mundialmente. “E agora com essa concretização, acreditamos que irá agregar muito porque abre oportunidades de colocarmos nosso produto lá fora e ajuda no controle da qualidade. Muitas portas se abrirão com a Identificação”, disse ele.

Cristiane de Oliveira Veronese, coordenadora do Programa de Assistência Técnica e Gerencial do SENAR, afirma que esse é um passo muito importante para os produtores do ES, porque quando se fala em indicação de procedência, já estão pensando no mercado e na valorização desse produto. “Nós sempre discutimos que as pessoas não conhecem o conilon, ainda mais quando falamos do Conilon de qualidade, isso é falta de conhecimento e por isso a IG é fundamental”, conta.

A analista de Projetos de Cafés Especiais do Sebrae ES, Carla Fernanda Cardoso, conta que o próximo passo do Comitê, é definir e validar o regulamento de uso da IG. “E aquele produtor que quiser fazer parte do uso dessa indicação, tem que seguir um regulamento, que será definido por este comitê que esteve reunido aqui hoje”, disse ela.

Para o Sr. João Elvídeo Galimberti, analista de Mercado de Café da Coopeavi, esse trabalho é muito bem-vindo e já era imaginado há muito tempo, visto que existem outros produtos com essa identificação no estado. “É interessante pois temos condição de caracterizar e isso gera valor à produção para as Cooperativas e para os produtores. É um trabalho que tem tudo para dar certo”, pontua.

A Cafesul por exemplo, já possui uma certificação e com a IG terão mais uma forma de agregar valor ao produto e levar mais informações para o consumidor final. O presidente da Cooperativa, Sr. Renato Theodoro, quer mostrar que a origem desse café Conilon de qualidade é o ES. “Essa conquista ajuda na nossa reivindicação junto ao Governo no que diz respeito a produção, o Conilon ainda é considerado o ‘patinho feio’ dos cafés e estamos desmistificando isso, mostrando que é possível produzir essa variedade com muita qualidade. O Brasil é o maior produtor de café do mundo e dentre as variedades que produzimos existe o Conilon”, conclui. 

O também representante de uma das Cooperativas participantes do Comitê, Sr. Erasmo Negris, presidente da Coopbac define o cooperativismo como o representante de grande parte dos produtores capixabas e o reconhecimento desse café, da sua pujança e da força na economia é muito importante. “É um grande prazer estar participando dessa indicação geográfica”, finalizou.

Fonte: Folha Vitória