Nota Oficial da AVES (28/05) | Coopeavi

Acesso rápido:

Índice

Nota Oficial da AVES (28/05)

Informações sobre a grave situação instalada nas atividades de Avicultura e Suinocultura Capixabas

A Associação dos Avicultores do Estado do Espírito Santo e a Associação de Suinocultores do Espírito Santo, informam que face a continuidade da paralisação dos Caminhoneiros, os setores de avicultura e suinocultura amargam prejuízos da ordem de 50 milhões de reais (até a presente data), e em breve 30 milhões de frangos e galinhas de postura, além de 150 mil suínos, poderão morrer por falta de ração, proveniente de milho e soja. Além disso 800 mil pintinhos terão que ser sacrificados nas próximas horas, caso não seja possível destiná-los para as granjas, inclusive para outros estados.

Essa morte em massa trará graves efeitos sanitários, ambientais e de bem-estar animal, pois não há onde enterrar esse volume de animais, e nem equipamentos disponíveis para tal medida. Existe preocupação do setor com as consequências de saúde pública que podem ocorrer em razão da morte desses animais.

Os produtores e indústrias estão estocados hoje com 400 mil caixas de ovos (o que equivale a 150 milhões de ovos) e 4 mil toneladas de carne. Tais produtos são altamente perecíveis e se não destinados em breve aos pontos de vendas serão perdidos e encaminhados a aterros sanitários. As aves continuam produzindo ovos que terão que ser descartados a partir de hoje.

A Associação dos Avicultores do Estado do Espírito Santo e a Associação de Suinocultores do Espírito Santo reiteram que entendem a razão do movimento e apoiam os caminhoneiros, reconhecem os esforços do governo estadual e federal, entretanto conscientiza que se não forem tomadas medidas urgentes, se instalará uma grave crise econômica em nosso estado, atingindo diretamente a população em virtude da falta das proteínas com custo mais acessível, a saber ovo, frango e suíno.

 Por esses e outros motivos que estão levando nossas atividades ao caos, pedimos a consciência e bom senso das lideranças do movimento que permitam o trafego de animais vivos, ovos, carnes de frango e suínos, além de insumos e ração animal.

Marechal Floriano-ES 28, de maio de 2018.