Cafeicultores de Afonso Cláudio e Vargem Alta vencem | Coopeavi

Acesso rápido:

Índice

Cafeicultores de Afonso Cláudio e Vargem Alta vencem

Seis cafeicultores da região serrana capixaba vão terminar o ano com mais dinheiro no bolso e cientes da qualidade do seu café. Eles são os vencedores do 7º Prêmio Pio Corteletti de Arábica e Conilon Especial, promovido pela Cooperativa Agropecuária Centro Serrana (Coopeavi). A cerimônia de premiação foi realizada na última sexta-feira (15), no ginásio de esportes de Rio Possmoser, em Santa Maria de Jetibá.

Artur Ludke (Afonso Cláudio), na categoria Conilon; e Anilton Afonso Mineguite (Vargem Alta), na categoria Arábica, são os campeões da vez. Ludke obteve 85,2 pontos na análise sensorial e faturou R$ 1.500,00 com a primeira colocação. Em segundo lugar, ficou o seu filho, Altamiro Ludke. Para fechar o pódio, o terceiro colocado também é de Afonso Cláudio: o produtor Edilson Brandt.

Pai e filho cooperados conseguem uma façanha na localidade de Três Pontões, na zona rural de Afonso Cláudio. Típico de regiões mais planas, o conilon dos Ludke é cultivado entre 700 e 800 m de altitude. “Trabalhamos juntos e o nosso segredo é colher o café bem maduro”, diz Artur, que representou o pai na ocasião.

O anúncio dos vencedores da categoria Arábica criou muita expectativa, afinal, foi a mais concorrida desta edição, com 28 dos 40 finalistas totais do prêmio. Miniguite alcançou 92,08 pontos e ganhou R$ 5.000,00, seguido de Edmar Busato (Marechal Floriano), com 90,96; e Danilo Guilherme Dones (Santa Maria de Jetibá), com 90,17 pontos.

O campeão descreve o sabor da vitória. “Meu café tem qualidade graças ao clima, ao trabalho e à mão de Deus. Não deixo de participar do prêmio e sempre aprendo cada vez mais sobre como produzir cafés especiais”, declara Anilton Miniguite. Todos os cafeicultores classificados receberam certificados.

Novos mercados

O Prêmio Pio Corteletti tem por objetivo identificar, incentivar e premiar os melhores cafés produzidos em todo o Estado do Espírito Santo como forma mais eficaz de conquista de novos mercados e atender à crescente demanda por produto com qualidade superior.

Para o vice-presidente da Coopeavi, Denilson Potratz, com a incorporação da Pronova, em 2015, a cooperativa deu um novo passo no fomento e comércio de cafés finos. “Devagarzinho estamos conquistando mercados, e ver o nome dos produtores lá fora nos deixa muito felizes”.

Durante o evento na última sexta, o gerente do Negócio Café da Coopeavi, Giliarde Cardoso, anunciou os projetos da cooperativa para 2018 e destacou a necessidade de se produzir cafés especiais com sustentabilidade. “Não basta os consumidores adquirirem um café bom agora, se acostumarem e daqui a dez anos não ter mais o produto no mercado. Os filhos, netos e bisnetos dos produtores de hoje devem dar continuidade aos negócios”, disse.

 

Classificação geral:

 

CONILON

1º lugar- Artur Ludke (Afonso Cláudio)

2º lugar- Altamiro Ludke (Afonso Cláudio)

3º lugar- Edilson Brandt (Afonso Cláudio)

 

ARÁBICA

1º lugar- Anilton Afonso Miniguite (Vargem Alta)

2º lugar- Edmar Busato (Marechal Floriano)

3º lugar- Danilo Guilherme Dones (Santa Maria de Jetibá)