Resultado Prêmio Pio Corteletti 2016 | Coopeavi

Acesso rápido:

Índice

Resultado Prêmio Pio Corteletti 2016

O resultado final do Concurso de Qualidade premiou os melhores cafés, arábica e conilon, produzidos no Espírito Santo. Foram distribuídos ágio na comercialização e 16 mil reais em dinheiro para os primeiros colocados.

Um dos momentos mais esperados do ano para os cafeicultores capixabas, a entrega do Prêmio Pio Corteletti, aconteceu na noite do último sábado (10), em Santa Maria de Jetibá. Foram premiados os melhores cafés arábica, categoria cereja descascado, e conilon, categorias cereja descascado e natural. Os produtores Marcos Tomazini (Castelo), Geovane César Seringer (Itarana) e Jeorge Delpupo (Afonso Cláudio) foram os grandes campeões da noite.

O Prêmio Pio Corteletti é um dos concursos de qualidade de café mais tradicionais do Espírito Santo (ES). Organizado pela Coopeavi, desde 2012, os produtores da espécie arábica e conilon são premiados no último mês de dezembro. Este ano foram distribuídos 16 mil reais em dinheiro para os três primeiros colocados das três categorias citadas acima, além de ágios no ato da comercialização do café com a cooperativa.

A cerimônia de premiação aconteceu no pátio da Loja Matriz da Coopeavi, em Santa Maria de Jetibá, e contou com a presença da Diretoria Coopeavi, autoridades locais e cerca de 170 produtores rurais com seus familiares.

Um dos principais fatores que influenciou negativamente na produção de cafés de qualidade foi o clima. A falta de chuvas relevantes nos períodos necessários impactou na formação dos grãos e, por consequência, no resultado final do concurso. O impacto maior foi na produção de conilon, pois grande parte do volume é produzido nas regiões de clima mais quente do ES. Já os grãos produzidos nas montanhas capixabas se destacaram, pois, a região possui um clima mais ameno, se comparado com o restante do Estado.

Mesmo com todas as dificuldades climáticas, os produtores acreditaram e deram sequência no trabalho de melhoria da qualidade. O resultado do concurso destacou Afonso Claudio com o principal munícipio produtor de grãos finos. Além disso, destacou um crescente resultado de qualidade para os cafés produzidos em Itarana, Vargem Alta e Castelo.

DEGUSTADORES

A fase final de degustação dos cafés foi realizada em Venda Nova do Imigrante e contou com a presença dos seguintes degustadores: Edevaldo Costalonga (Coopeavi), Carlos Zardo Altoé (Coopeavi), Elivelton de Oliveira (Coopeavi), Talles da Silva De Souza (Cafesul), Tassio de Souza (Incaper), Luiz Henrique Bozzi Pimenta de Souza (IFES), João Paulo Pereira Marcate (IFES), Dério Brioschi Junior (IFES) e Lucas Louzada Pereira (IFES). Além disso, o Concurso contou com um auditor externo, o analista de mercado da OCB/Sescoop-ES Alexandre Ferreira.

Todos os degustadores foram homenageados e receberam um certificado de participação no Pio Corteletti 2016.

RESULTADO FINAL CATEGORIA CONILON NATURAL

O terceiro lugar na categoria Conilon Natural ficou com a cafeicultora Mariceia Pancini, de Cachoeiro de Itapemirim. Com nota 82,70, ela recebeu uma premiação de 500 reais. Já o primeiro e segundo lugar ficaram, mais uma vez, com produtores de café do município de Afonso Cláudio. Com nota 83,40, o cafeicultor Luciano Tonole conquistou o segundo lugar e um prêmio de mil reais. Já o café do produtor Jorge Delpupo recebeu nota 84,60, certificado de melhor café do ano da categoria e 1,5 mil reais como prêmio.

Confira abaixo a classificação completa dos cafés finalistas e a classificação:

CONILON NATURAL - RESULTADO FINAL

Produtor

Municipio

Colocação

Jeorge Delpupo

Afonso Cláudio

1

Luciano Tonole

Afonso Cláudio

2

Mariceia A P B Pancini

Cachoeiro de Itapemirim

3

João Delpupo

Afonso Cláudio

4

Erivelton Carline

Itaguaçu

5

Laurindo Tonole

Afonso Cláudio

6

Fabricio Zuin

Castelo

7

Romario Patusse N Pancini

Cachoeiro de Itapemirim

8

Zenomar Zandonadi

Afonso Cláudio

9

Ivonete Maria Carlini

Itaguaçu

10

 

RESULTADO FINAL DA CATEGORIA CONILON CEREJA DESCASCADO

Já na categoria Conilon Cereja Descascado, o terceiro lugar ficou com o cafeicultor Querope Cunha do Nascimento, de Afonso Cláudio. O café dele recebeu nota 84,30, o que lhe rendeu uma premiação de 500 reais. O produtor Arthur Ludke, também de Afonso Cláudio, ficou com mil reais como prêmio e o segundo lugar com a nota 84,80. O primeiro lugar ficou com o agricultor Geovane César Seringer, de Itarana. Com nota 85, ele levou para casa a premiação de 1,5 mil e certificado de melhor café do ano da categoria.

Confira abaixo a classificação completa dos cafés finalistas e a classificação:

CONILON CEREJA DESCASCADO - RESULTADO FINAL

Produtor

Município

Colocação

Geovane Cesar Seringer

Itarana

1

Arthur Ludke

Afonso Cláudio

2

Querope Cunha do Nascimento

Afonso Cláudio

3

João Delpupo

Afonso Cláudio

4

Valtamiro Ludke

Afonso Cláudio

5

Luciano Tonole

Afonso Cláudio

6

Florentino Brandt

Afonso Cláudio

7

José Arnaldo Zandonaide

Afonso Cláudio

8

Elivelton Sotele Carlini

Itaguaçu

9

Adair Batista Borges

Alto Rio Novo

10

Marcelo Sergio Mognato

Santa Teresa

11

Jonezio S Carline

Itaguaçu

12

Eliadir Souza Mendonça

Afonso Cláudio

13

 

RESULTADO FINAL DA CATEGORIA ARÁBICA CEREJA DESCACADO

O último prêmio anunciado no evento foi o de vencedor da categoria Arábica Cereja Descacado. A diferença entre o primeiro e o terceiro colocado ficou menor que 2 pontos na avaliação final dos degustadores.

Para se consolidar como o munícipio mais premiado da noite, o terceiro lugar foi para o produtor Luciano Pimenta, de Afonso Claudio. O café dele alcançou nota 86,75 e conquistou uma premiação de 2 mil reais. O certificado de segundo colocado ficou com o produtor Anilton Afonso Miniguete, de Vargem Alta. Devido a colocação, o produtor levou uma premiação de 3 mil reais. Já o primeiro lugar ficou com o cafeicultor Marcos Tomazini, de Castelo, com a maior nota (88,60) do Prêmio, ganhou um cheque no com valor de 5 mil reais e o certificado de melhor grão arábica do ano.