Coopeavi | Avicultura, Café e Ração Animal

Acesso rápido:

A Coopeavi > História

Conheça nossa História

COOPEAVI - Cooperativa Agropecuária Centro Serrana

MISSÃO

Viabilizar soluções ao cooperado contribuindo com a sua sustentabilidade, a qualidade de vida da sociedade e o fortalecimento da doutrina cooperativista.

VISÃO

Ser referência no agronegócio com sustentabilidade.

VALORES E PRINCÍPIOS

- Inovação

- Empreendedorismo

- Transparência

- Responsabilidade Social

- Responsabilidade Ambiental

- Comprometimento

- Trabalho em Equipe

- Cooperativismo

- Honestidade

- Respeito

- Lealdade

- Ética

- Integridade

- Igualdade


Abaixo uma linha do tempo com os principais marcos históricos da caminhada da Coopeavi:


2017

Em 2017, houve crescimento no faturamento nas operações de comercialização com os cooperados (5,4% em relação a 2016), fechando o ano com a receita líquida de R$ 323,1 milhões e apurando um resultado de R$ 4,6 milhões.


As contas aprovadas pelos associados deliberaram a distribuição de um total de R$ 1.179.205,25 entre os cooperados que movimentaram com a Coopeavi em 2017, proveniente das sobras depois das deduções estatutárias.


Outro destaque foi a evolução do quadro social da cooperativa, que cresceu 7,2% com o ingresso de 818 novas famílias de produtores rurais entre os associados, fechando o ano com 12.207 cooperados.


Alguns destaques do ano foram: a realização da primeira pesquisa de satisfação e levantamento de necessidades com os seus cooperados; Inauguração do primeiro Galpão, com 100 mil aves, no regime de cotas no Condomínio Avícola; Arrecadação de cerca de 4 mil livros nas 20 Lojas Agropecuárias; Doações de alimentos para instituições filantrópicas; Criação do Núcleo Feminino em Alto Jatibocas, interior de Itarana; Plantio de 499 árvores no Complexo Logístico, em Ibiraçu; Capacitação de 150 alunos através do programa CooperJovem, na Escola Cooperação, em Santa Maria de Jetibá; Realização do 1º Concurso de Qualidade de Café Feminino; A realização da 6ª Semana Tecnológica do Agronegócio, em Santa Teresa, com a presença de aproximadamente 5 mil produtores rurais e faturamento acima de R$20 milhões; Entre outras atividades.


RECEBIMENTO – Em 2017, a Coopeavi comercializou 191,4 mil sacas de café e 413.690 mil caixas de ovos (30 dúzias cada).


SOCIAL – Durante 2017 a Coopeavi promoveu e apoiou 127 eventos de capacitação para os cooperados, com o envolvimento de aproximadamente 8.820 participantes. A Coopeavi encerrou o ano com 12.207 associados, atendidos por 528 funcionários efetivos, sem contar os colaboradores temporários e terceirizados.

Com relação a geração de impostos, taxas e recolhimentos, a cooperativa efetuou o pagamento de mais de R$20 milhões. A renda gerada através de salários e pagamentos a terceiros totalizou R$4.886.531,12. Foi devolvido aproximadamente 2 milhões de reais, referente ao resultado apurado do ano de 2017, sendo que 50% desse valor integralizado na conta capital dos cooperados e o restante ficou disponível em créditos para os associados nas lojas, até dezembro de 2018.


RANKINGS: O Anuário das 200 Maiores Empresas do Espírito Santo, publicado pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL), listou a Coopeavi como a terceira maior varejista do ES, 17ª maior empresa capixaba e 37ª maior empresa com atuação no Estado. Na lista das 400 Maiores Empresas do Agronegócio do Brasil, a Revista Exame classificou a Coopeavi no 342º lugar.


2016

Apesar das mudanças no cenário econômico e das incertezas na política nacional, a Cooperativa Agropecuária Centro-Serrana (Coopeavi) obteve um resultado de R$ 5,7 milhões. 


O principal investimento da cooperativa do ano foi o Condomínio Avícola, o primeiro do Brasil para postura de ovos, inaugurado no mês de julho. O novo empreendimento, construído em uma propriedade na localidade de Alto caldeirão, município de Santa Tersa, foi destaque nacional e vários jornais enalteceu a iniciativa da cooperativa.


Já no mês de outubro, a cooperativa apresentou aos cooperados mineiros um galpão, arrendado, para armazenar cafés em Caratinga (MG), uma demanda antiga dos produtores de café ligados à cooperativa em Minas Gerais.


Outro dado relevante é o aumento em 6,06% do número de cooperados. Com a chegada de 651 novos produtores, a família Coopeavi passa a ter em seu quadro social 11.380 associados. Graças aos cooperados, o capital social cresceu 8,1% desde 2014 e já soma R$ 21,2 milhões.


O ano de 2016 também marcou o melhor resultado dos últimos três anos no Ebtida. Com aumento de 20%, trata-se de um indicador financeiro que representa quanto uma empresa gera de recursos através de suas atividades operacionais, sem contar impostos e outros efeitos financeiros.


RECEBIMENTO – Em 2016, a Coopeavi comercializou 140 mil sacas de café e 381,6 mil caixas de ovos (30 dúzias cada).


SOCIAL – Durante 2016 a Coopeavi promoveu e apoiou 99 eventos de capacitação para os cooperados, com o envolvimento de aproximadamente 7.784 participantes. A Coopeavi encerrou o ano com 11.380 associados, atendidos por 543 funcionários efetivos, sem contar os colaboradores temporários e terceirizados. 

Com relação a geração de impostos, taxas e recolhimentos, a cooperativa registrou o montante de 20,2 milhões de reais. A renda gerada através de salários e pagamentos a terceiros totalizou 21 milhões de reais. Foi devolvido aproximadamente 1,5 milhões de reais, referente ao resultado apurado do ano de 2016, sendo que 50% desse valor integralizado na conta capital dos cooperados e o restante ficou disponível em créditos para os associados nas lojas, por um período de um ano.


RANKINGS: O Anuário das 200 Maiores Empresas do Espírito Santo, publicado pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL), listou a Coopeavi como o quarto maior varejista do ES, 18ª maior empresa capixaba e 39ª maior empresa com atuação no Estado. Na lista das 400 Maiores Empresas do Agronegócio do Brasil, a Revista Exame classificou a Coopeavi no 300º lugar.


2015

Mesmo com uma série de fatores prejudiciais à agropecuária, a cooperativa apresentou crescimento de 5,4% no faturamento bruto e um resultado de 8,4 milhões de reais no ano de 2015. 

No ano de 2015, a economia brasileira sofreu uma forte retração de 3,8% (IBGE) e a inflação alcançou a marca de 10,67% (IPCA). No Espírito Santo, além dos impactos econômicos nacionais, os agricultores sofreram com a falta de chuvas e restrições de uso da água em alguns municípios. Mesmo neste cenário de dificuldades, a Coopeavi continuou com o seu plano de estruturação e investimentos, o que deu sustentação para apresentar um resultado positivo.

Foram investidos mais de 16 milhões de reais para inaugurar três filiais (João Neiva, Inhapim e Barra de São Francisco), um Armazém para Café (Vila Valério), o Complexo Logístico (Ibiraçu) e outras obras de melhorias das atuais estruturas. Além disso, também houve a incorporação da Cooperativa dos Cafeicultores das Montanhas do Espírito Santo (PRONOVA), em Venda Nova do Imigrante. 

Com estes investimentos, a Coopeavi fechou o ano de 2015 com 20 filiais e cinco armazéns para cafés. Outro marco foi a IV Semana Tecnológica do Agronegócio, evento que reuniu mais de 5 mil pessoas e faturou, em três dias, mais de 25 milhões de reais.

RECEBIMENTO – Em 2015, a Coopeavi comercializou 338 mil sacas de café e 483,2 mil caixas de ovos (30 dúzias cada).

SOCIAL – Durante 2015 a Coopeavi promoveu e apoiou 142 eventos de capacitação para os cooperados, com o envolvimento de aproximadamente 9.427 participantes. A Coopeavi encerrou o ano com 10.738 associados, atendidos por 578 funcionários efetivos, sem contar os colaboradores temporários e terceirizados. 

Com relação a geração de impostos, taxas e recolhimentos, a cooperativa registrou o montante de 20,3 milhões de reais. A renda gerada através de salários e pagamentos a terceiros totalizou 22 milhões de reais. Foi devolvido aproximadamente 2,2 milhões de reais, referente ao resultado apurado do ano de 2015, sendo que 50% desse valor integralizado na conta capital dos cooperados e o restante ficou disponível em créditos para os associados nas lojas, por um período de um ano.

RANKINGS: Na lista das 400 Maiores do Agronegócio do Brasil (Revista Exame) ficamos no 321º lugar, a 27ª empresa do agronegócio brasileiro que mais cresceu em 2015. No 11º Anuário do Agronegócio (Revista Globo Rural) a Coopeavi foi classificada na 255ª posição, subindo 39 posições. Já no Anuário IEL 200 Maiores Empresas do Espirito Santo, a Coopeavi foi classificada como a maior cooperativa agro do ES, ficando na 43ª posição, a 4ª maior empresa de Comércio Varejista.

 

2014

O ano de 2014 começou com um grande desafio devido às fortes chuvas que assolaram o Espírito Santo e parte de Minas Gerais. Dentro da área de atuação da Coopeavi (todo o ES e leste de MG), diversos produtores de tomate, alface, mamão, melancia, café e criadores de gado tiveram redução significativa no resultado esperado. Em janeiro, fizemos uma estimativa do tamanho do prejuízo dos nossos associados, o impacto foi próximo a R$ 4 milhões, cerca de 90% desse impacto foi sofrido pelos produtores de hortifrúti. Por isso, o início do ano exigiu um esforço maior na reestruturação dessas propriedades atingidas.

O ano também foi marcado por fatos positivos. O cinquentenário da Coopeavi foi comemorado ao longo do ano e diversos foram realizados diversos investimentos em estruturas e em qualidade.

Duas unidades foram inauguradas durante o ano: uma filial em Vila Valério e a Fábrica de Rações, em Baixo Guandu. Com a primeira filial no Norte do ES, a cooperativa inicia um novo ciclo com filiais em todas as regiões do Estado. Já a Fábrica de Rações marca uma inserção maior no mercado de Nutrição Animal, aumentando a capacidade de produção da cooperativa de 60 mil toneladas/ano para 120 toneladas/ano.

Além de investimentos em estruturas, a cooperativa focou ainda mais em promover a qualidade entre seus cooperados. Na cafeicultura o esforço foi na implementação da Verificação do Código de Conduta da Comunidade Cafeeira (4C), que reconhece as premissas básicas de sustentabilidade das propriedades. Por isso, durante o ano o tema foi discutido com os produtores de café, a começar pelo IV Encontro Estadual Conilon Descascado, que aconteceu em Santa Maria de Jetibá. O reconhecimento desse trabalho foi na entrega do Prêmio Conilon Especial – Concurso Estadual de Qualidade do Conilon, dos dez produtores premiados, oito estavam no quadro de cooperados da Coopeavi.

A cooperativa atuou fortemente na busca de novos mercados que valorizam os cafés especiais dos produtores associados. Representantes da Coopeavi estiveram presentes nos principais eventos de cafeicultura do mundo, como o Let’s Talk Coffee, no Panamá; SCAA Coffee, em Seatle (EUA); Semana Internacional do Café, em Belo Horizonte (MG); Encafé, em Porto de Galinhas (PE). A exportação de café cresceu em relação ao último ano mais de 100%, saiu de 23 mil sacas para 48 mil sacas de café Conilon.

Em setembro, a Coopeavi realizou em Santa Maria de Jetibá a Semana Tecnológica do Agronegócio (STA), o maior evento em capacitação e negócios do cooperativismo capixaba. Foram geradas mais de R$ 10 milhões em negócios e contou com a presença de mais de cinco mil pessoas nos três dias de evento. A STA contou com presenças de autoridades estadual, nacional e internacional do agronegócio, como o Embaixador Especial da FAO (Food and Agriculture Organization of the United Nations) para as Cooperativas, Roberto Rodrigues.

Além disso, a cooperativa também investiu na qualidade dos ovos produzidos por avicultores de Santa Maria de Jetibá. Houve aporte de R$ 1,4 milhão para ampliar da capacidade de classificação de ovos, no Entreposto de Ovo da Coopeavi. Também foi adquirido uma máquina para medir a qualidade do ovo (Digital Egg Tester DET6000), o primeiro equipamento dessa natureza do ES e um dos poucos presentes no Brasil.

Em suma, em um ano de incertezas, devido eleições estaduais e federais, a cooperativa manteve o foco em qualidade e estrutura, sendo um diferencial para minimizar os impactos dessa insegurança que esteve presente durante o ano.

Com um crescimento de 41%, a Coopeavi fechou o ano com um faturamento bruto de R$333,3 milhões, enquanto o PIB brasileiro cresceu 0,1% e o PIB capixaba 4,6%. O número de cooperados teve um acrescimento de 17,6%, totalizando 9.593 associados. Na lista das 400 Maiores do Agronegócio do Brasil (Revista Exame) ficamos no 343º lugar, já no 10º Anuário do Agronegócio (Revista Globo Rural) a Coopeavi foi classificada na 294ª posição, subindo 41 posições.

 

2013

Apesar do cenário sombrio na economia mundial, com recessão na Europa e baixo crescimento nos principais países, a Coopeavi registrou um crescimento muito acima da média global. Enquanto o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro cresceu 2,3%, a cooperativa progrediu 27,5%, com um faturamento recorde de R$237 milhões. Além disso, o ano de 2013 fechou com um aumento de 12,06% no número de associados, chegando a marca de 8.176 produtores ligados à cooperativa.

Quatro unidades foram inauguradas durante o ano: Escritório de Negócios, em Ibiraçu; Loja de Produtos Agropecuários, em Castelo; Filial Própria, em Afonso Cláudio; e Loja Agro, em Ipanema (MG). Também foi concretizado a compra de um terreno em Caratinga (MG). Nesses empreendimentos foram investidos cerca de R$ 2 milhões.

Mais uma vez a cooperativa figurou nos principais rankings do Agronegócio brasileiro. A Revista Exame classificou-a na 349ª posição entre “400 Maiores Empresas do Agronegócio Brasileiro”; e a Revista Globo Rural listou a cooperativa no 335º lugar entre as “500 Maiores do Agronegócio Brasileiro”. Entre as principais instituições capixabas, a Coopeavi foi classificada, segundo o Instituto Euvaldo Lodi (IEL), na 58ª posição.

A exportação de café para Cuba foi um dos principais destaques deste ano. Foram exportadas cerca de 24 mil sacas de café, beneficiando diretamente 180 famílias de cafeicultores. O trabalho para melhoria da qualidade do café foi destaque no Espírito Santo e em Minas Gerais, com o trabalho da Consultoria Técnica da cooperativa e a entrega do Prêmio Pio Corteletti aos melhores cafés dos cooperados de ambos Estados. No Espírito Santo, o cooperado João Delpupo sagrou-se campeão do principal prêmio de qualidade do café Conilon estadual, o Prêmio Conilon Especial.

Pela primeira vez, a cooperativa participou das comemorações do Dia do Ovo. Junto com a Associação dos Avicultores do Estado do Espírito Santo (AVES) e a Prefeitura Municipal de Santa Maria de Jetibá, por meio da Secretária de Educação, a Coopeavi promoveu a Semana do Ovo e da Criança na cidade para aproximadamente 4.000 crianças.

Treze estabelecimentos da região de Santa Maria de Jetibá e Santa Teresa tiveram seus trabalhos reconhecidos por meio do Lançamento do Guia Gastronômico Cesto de Ovos. Já o Programa Anual de Capacitação de Avicultores – Postura Comercial (Qualificaves) realizou sete palestras para os produtores de ovos de Santa Maria de Jetibá.

Também foi realizado a segunda edição da Semana Tecnológica do Agronegócio na Pousada Paraíso. O evento reuniu, durante três dias, 1.862 pessoas, 19 expositores e mais de R$ 1 milhão em negócios. Ao total a Coopeavi realizou, em 2013, 65 eventos como reuniões, palestras, Dias de Campo e encontros voltados para levar conhecimento aos produtores associados a cooperativa.

O ano de 2013 fechou com a geração de 599 empregos (463 diretos e 136 terceirizados) e 880 novos cooperados. Foram restituídos R$892.975,45 aos associados e cerca de 12 milhões em impostos e encargos trabalhistas aos cofres públicos.

 

2012

Apesar da estagnação econômica no Brasil, com crescimento de 0,99% do Produto Interno Bruto (PIB), e o agravamento da crise no hemisfério Norte (EUA e Europa), a Coopeavi manteve o ritmo de crescimento, 9,6% em relação a 2011, ou seja, faturamento de R$186,1 milhões.

Em 2012, a Coopeavi manteve o plano de expansão. Foram inauguradas três filiais: Itaguaçu (ES), Conselheiro Pena (MG) e em Baixo Guandu (ES). Além da reforma da filial em Melgaço e o início das obras da filial em Vila Valério e da nova Loja em Afonso Cláudio. Foi concluído o projeto da Nova Fábrica de rações para ruminantes em Baixo Guandu, que terá capacidade de 5 mil toneladas por mês.

Na unidade Avicultura, a Coopeavi, em parceria com a Associação dos Avicultores do Estado do Espírito Santo (AVES) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), criou o Programa Anual de Capacitação de Avicultores – Qualificaves Postura Comercial, abordando assuntos importantes relativos à produção de ovos. O programa reuniu 758 participantes, cerca de 95 avicultores por módulo.

O incentivo à produção de café de qualidade foi aprofundado durante o ano, foi realizado o II Encontro Estadual do Conilon Descascado com 543 inscritos. A busca por conhecimento foi outro ponto importante, como a participação em eventos importantes da cafeicultura, dentro e fora do País, os profissionais da cooperativa trouxeram diversas inovações que contribuíram para aumentar a produtividade dos cooperados.

O aumento de amostras inscritas no concurso de qualidade de café Pio Corteletti, em ambas etapas (conilon e arábica), foi superior a 20%. Já a elevação no número de amostras classificadas foi superior a 110%.

Para fortalecer toda a cadeia do Agronegócio, promover um intercâmbio de informações e capacitar os produtores, a Coopeavi em parceria com o Sebrae realizou a junção de eventos tradicionais como o Encontro de Cafeicultores Coopeavi e o Hortcet criando a Semana Tecnológica do Agronegócio. O evento reuniu mais 1.500 produtores em Santa Maria de Jetibá, no mês de setembro.

O ranking da revista IEL/Findes 200 Maiores Empresas do ES, com base em 2011, classificou a Coopeavi na 65ª posição e na 32ª entre as 100 com capital exclusivamente capixaba. Já no ranking das 400 Maiores Empresas do Agronegócio Brasileiro, da revista Exame, a Coopeavi foi classificada em 383ª posição.

A Coopeavi fechou 2012 com 897 novos cooperados, totalizando 7.296 associados, um crescimento de 14% em relação ao ano anterior. O número de colaboradores subiu para 412. Foram restituídos R$ 564,4 mil aos associados e mais R$ 10,9 milhões em impostos e encargos trabalhistas aos cofres públicos.

 

2011

Eleita nova Diretoria, desta vez com o Sr. Argêo João Uliana na presidência e o Sr. Arno Potratz como vice.

Este ano marca a expansão da cooperativa para outros estados. Inauguramos nossa primeira filial em Caratinga, Minas Gerais, como parte de um programa de parceria com a Syngenta, nos tornando representantes exclusivos na região do Vale do Rio Doce.

Iniciamos o processo de profissionalização da unidade café investindo em participações em feiras e exposições em níveis nacional e internacional. Junto com parceiros incentivamos a produção do café Conilon de qualidade (típico de nossa região do qual somos o maior produtor do Brasil com 7,3 milhões de sacas beneficiadas – fonte Conab) realizando o I Encontro Estadual do Conilon Descascado e o III Encontro de cafeicultores Coopeavi e promovendo o Prêmio Pio Corteletti.

Reformamos a filial Santa Teresa em uma obra de quase R$1 milhão, onde edificamos praticamente um monumento ao produtor rural da região, tamanha a qualidade, funcionalidade e beleza da construção.

Fomos apontados no ranking da revista IEL/FINDES 200 maiores empresas do ES, com base no faturamento de 2010 como: a 73ª entre as 200 maiores empresas do estado, 5ª no comércio varejista e 32ª entre as 100 com capital exclusivamente capixaba. A cooperativa ainda foi destaque na revista Exame, figurando no 385º lugar entre as 400 maiores empresas do agronegócio no Brasil.

A Coopeavi se define hoje como uma cooperativa de agronegócios, com leque de atuação diversificado, com quatro unidades estratégicas: Unidade Café, Unidade Avicultura, Unidade Nutrição Animal e Unidade Produtos Agropecuários. Atende as regiões centro serrana, centro-oeste e sudoeste serrana no estado, além do Vale do Rio Doce em Minas Gerais com lojas próprias, e nas demais áreas do Espírito Santo através de revendas no segmento Nutrição Animal (venda de rações). Fechou o ano de 2011 com cerca de 6500 cooperados, 380 colaboradores e faturamento de R$ 170 milhões.

 

2010

Começamos o ano inaugurando a expansão do armazém de café de Santa Maria de Jetibá, dobrando sua capacidade estática de 40 para 80 mil sacas. Finalizamos a obra do novo entreposto de ovos que demandou investimentos de cerca de R$ 2 milhões, incrementando o processo de beneficiamento quatro vezes em relação ao volume anterior, alcançando 432 mil ovos/dia, tudo dentro das exigências do Serviço de Inspeção Federal (S.I.F.). Além disso a arquitetura do novo Entreposto de Ovos da Coopeavi, localizada em área nobre da cidade, valoriza os aspectos da cultura local (estilo pomerano), tendo sido caracterizada com o mais belo estilo enxaimel, tornando-se assim um cartão postal para o município.

Substituímos os antigos galpões da unidade Recria por um galpão automatizado com capacidade para abrigar um plantel de 50mil aves, reduzindo custos e melhorando a qualidade no manejo das aves.

 

2009

Neste ano ocorreram inúmeras inaugurações, são elas: a reforma da sede do prédio do administrativo, com intuito de reestruturação, dar suporte ao desenvolvimento da Coopeavi e receber de melhor forma os seus associados; a nona filial da Coopeavi, a segunda no município de Domingos Martins, na Fazenda do Estado, Distrito de Aracê, atendendo aos pedidos de cooperados da região; expansão da loja matriz com área exclusiva para comercialização e assistência técnica de máquinas e equipamentos agrícolas. Além dessas inaugurações, se deu início neste ano à construção de mais um armazém de café em Santa Maria de Jetibá com o objetivo de atender a demanda de café dos cooperados e um novo entreposto de ovos para atender também a demanda de produção dos cooperados e atender as exigências do Ministério da agricultura.

 

2008

A Coopeavi alcança as seguintes colocações no ranking da revista IEL/FINDES: 89ª entre as maiores empresas do estado, 6ª no comércio varejista e 39ª em capital capixaba. É inaugurada a oitava filial da Coopeavi, a terceira no município de Santa Maria de Jetibá, em São João do Garrafão. A abertura desta loja torna-se uma concretização do desejo dos associados da região, proporcionando viabilidade para os produtores, assistência técnica e melhor acesso às novas tecnologias. Atuando mais efetivamente nas culturas do morango, cebola, beterraba, tomate e crucíferas. As áreas propícias para o plantio do morango e o clima favorável fazem desta localidade o maior polo de produção desta fruta no Estado.

A Coopeavi conquista mais espaços com a abertura da Filial de Salvador investindo na distribuição de ovos para o comercio varejista. Com isso, foi possível encurtar o caminho que o produto percorre entre o produtor e o consumidor e, por consequência, absorver uma parcela maior da produção dos cooperados e proporcionar um preço mais justo pelo seu produto.

 

2007

A Coopeavi constitui sua nova Diretoria, tendo como presidente Sr. Arno Potratz e como vice-presidente, Sr. Argêo João Uliana. Segundo a OCB-SESCOOP/ES, a Coopeavi é a única Cooperativa do Brasil com mais de 40 anos que possui na sua administração atual, o presidente e o vice-presidente como sócios fundadores.

 

2005

Foi inaugurada a sétima filial da Coopeavi, no centro de Itarana. A iniciativa desta nova filial foi devido à necessidade de facilitar o acesso para os associados mais distantes da loja matriz além ter acesso ao portfólio de produtos comercializados pela cooperativa assim como a assistência técnica para suas lavouras e seus animais. Neste mesmo ano houve a inauguração do armazém de café de Afonso Cláudio e iniciou-se o comércio atacadista de café em grãos em Santa Maria de Jetibá.

 

2002

Houve a necessidade de alteração da razão social da Coope-Avi (Cooperativa Avícola) para Coopeavi (Cooperativa Agropecuária Centro Serrana). O seu registro foi homologado no dia 30 de janeiro de 2002, modificando também a sua logomarca. Efetivamente deixou de ser foco somente a avicultura, sem perder a sua importância, diversificando suas atividades e expandindo suas áreas de atuação em praticamente toda região centro serrana capixaba.

 

2001

A Coope-Avi se destaca no ranking das 150 maiores empresas do Estado, em publicação elaborada pelo Instituto Euvaldo Lodi – IEL ligado a Federação das Indústrias do Espírito Santo - Findes. Este é um marco na sua história, sendo reconhecida como empresa de grande porte e de importância para a região.

 

2000

A cooperativa fez seu primeiro grande investimento: assinatura do projeto Recoop – Programa de Revitalização das Cooperativas Brasileiras, financiando o Armazém de Café em Santa Maria de Jetibá. Neste evento, esteve presente o vice-presidente do Banco do Brasil, o Sr. Ricardo Conceição. Inicia-se neste momento a comercialização de café em Santa Maria de Jetibá e Santa Teresa. A Coope-Avi faz mais um investimento adquirindo um classificador semiautomático de ovos com objetivo de melhorar a comercialização do produto.

 

1999

Foi inaugurada a sexta filial da Coope-Avi, no centro de Afonso Cláudio. O local da loja pertence ao Estado e está em contrato de comodato com a cooperativa.

 

1998

Construção do primeiro galpão semiautomático de galinhas poedeiras em Santa Maria de Jetibá e uma sala para classificação e degustação de café na Filial de Santa Teresa. Os maquinários e equipamentos visaram melhorar a qualidade do café das montanhas.

 

1997

Foi inaugurada a quinta filial da Coope-Avi, a primeira no município de Domingos Martins, em Melgaço. Esta ação foi visando atender um crescente número de sócios que havia na região. A agricultura predominante é de base familiar e possuem foco nas culturas do café arábica, banana e citros.

 

1996

Foi eleito para presidir a Coope-Avi o Sr. Argêo João Uliana. Neste ano foi inaugurada a quarta filial da Coope-Avi, a segunda no município de Santa Teresa, em Várzea Alegre. Esta filial proporcionou aos cooperados da região, técnicas inovadoras e insumos para a cultura do café arábica e Conilon, e a horticultura, tendo o tomate com foco principal.